DevOps – Desenvolvimento e Operações

DevOps – Desenvolvimento e Operações
Foto: Roman Samborskyi | Dreamstime
Ratmir Belov
Journalist-writer

Graças ao desenvolvimento de tecnologias, podemos fazer tudo mais rápido, melhor e com cada vez menos consumo de recursos. Podemos ver isso em todos os setores, mas sem dúvida a TI é líder nessa área – novas ferramentas e metodologias estão sendo desenvolvidas, incluindo DevOps. O que é isso?

O que é DevOps?

Embora esse método tenha se tornado popular há relativamente pouco tempo, ele não é novo no mundo da TI. Foi discutido em 2009 em uma conferência em Ghent, que abriu uma série de reuniões chamadas DevOps Days. Sua principal sugestão é melhorar a comunicação e a colaboração entre as equipes de desenvolvimento e administração. Daí o nome, que combina desenvolvimento e operação (eng. Development & Operations – “desenvolvimento e operação”).

DevOps é uma nova maneira de executar projetos de software em que dois departamentos que costumavam trabalhar separadamente agora colaboram entre si. Por que as empresas começaram a fazer essas mudanças? Para melhorar o processo de produção.

O que mudou com o DevOps?

Antes da aplicação desta metodologia, os dois principais departamentos responsáveis ​​pela implementação do projeto tinham prioridades e objetivos diferentes. Os desenvolvedores queriam concluir o trabalho de programação o mais rápido possível e implementar o software no local do cliente. No entanto, esta política foi contrária aos interesses do departamento administrativo, que preferiu manter o número de alterações de código ao mínimo.

DevOps
Foto: Roman Samborskyi | Dreamstime

Qual é o resultado desse modelo de trabalho? Mais erros, mais prazos e custos de entrega e menor qualidade do produto entregue. Todos perderam: a empresa, funcionários e usuários finais.

A solução foi encontrada na combinação das duas divisões em uma equipe, cujos membros compartilham seus conhecimentos e descobertas entre si. Era assim que o DevOps funcionava originalmente e é dessa forma que as empresas menores agora o estão implementando – os administradores se familiarizam com os fundamentos do conhecimento de produção e os desenvolvedores desenvolvem competências na área de suporte.

Design Orientado a Domínio – Programação DDD
Design Orientado a Domínio – Programação DDD

Outra mudança é o aumento do interesse em automação de processos (teste, análise, implementação e monitoramento) e infraestrutura em nuvem, que se tornaram parte integrante do DevOps. O mundo da TI adquiriu não apenas uma metodologia muito prática, mas também uma ampla gama de novas ferramentas e tecnologias. As mudanças no modo de operação foram tão efetivas que mais empresas estão implementando-as e uma nova posição surgiu no mercado – engenheiro de DevOps.

Modelo de trabalho iterativo

Uma modificação muito importante que devemos ao DevOps é a substituição do modelo de trabalho em cascata por um iterativo. O que isso significa e quais são os benefícios? O sistema “tradicional” ou em cascata divide o processo de implementação do projeto em etapas separadas, uma após a outra. É importante observar que, para começar a trabalhar na próxima fase do projeto, você deve primeiro concluir todas as tarefas das fases anteriores. Esse modelo provou ser problemático porque todas as etapas subsequentes devem ser concluídas se forem necessárias modificações em um estágio inicial de implementação.

Cookies são arquivos misteriosos que poucas pessoas conhecem
Cookies são arquivos misteriosos que poucas pessoas conhecem

Percebeu-se também que durante o processo de implementação, as expectativas dos clientes mudam, o que obrigou a equipe a fazer várias correções. Como você pode imaginar, enormes recursos de tempo foram gastos e, como resultado, o efeito final estava longe de ser perfeito.

Essas deficiências foram eliminadas no modelo iterativo. Inicialmente, apenas suposições aproximadas são feitas aqui, que são verificadas e refinadas posteriormente no processo de implementação. Além disso, em vez de esperar que todo o trabalho seja concluído, os trechos de código são confirmados e testados o mais cedo possível. Assim, a equipe responde rapidamente a possíveis necessidades de mudança, e os resultados finais estão totalmente alinhados com as expectativas atuais dos clientes.

Para quem é o DevOps?

Os maiores beneficiários desse método são organizações cujas operações exigem mudanças frequentes, mas não necessariamente grandes, na infraestrutura do produto.

DevOps
Foto: Elnur | Dreamstime

Vale ressaltar que a indústria de TI não é um monopólio aqui, embora possa parecer. Empresas de comércio eletrônico, bancos, telecomunicações, mídia e outros setores estão procurando usar o DevOps. Exemplos estão ao virar da esquina: Google, Netflix, Etsy, Facebook, Amazon. No caso desses gigantes, o código é injetado várias centenas de vezes por dia!

O DevOps tem futuro?

As empresas que decidiram implementar o DevOps veem muito mais nesse método do que apenas automação e cultura de trabalho. Eles entendem que o vencedor é o fornecedor que consegue trabalhar mais rápido, com mais eficiência e com melhores resultados do que a concorrência. Portanto, as estatísticas de que, por exemplo, 77% das empresas americanas declaram o uso de DevOps no processo de implementação ou possuem tal solução em um futuro próximo não surpreende.

Infográficos – a arte de apresentar informações
Infográficos – a arte de apresentar informações

Estudos também mostram que as empresas de segurança cibernética mais bem-sucedidas são as empresas de DevOps mais bem-sucedidas. Portanto, as conclusões são claras. Com a segurança atualmente no topo das listas de tarefas em todo o mundo, o DevOps só pode se fortalecer.

1
Contente Participação