O efeito placebo é o resultado do poder da nossa mente

O efeito placebo é o resultado do poder da nossa mente
Foto: Microgen | Dreamstime
Victoria Mamaeva
Pharmaceutical Specialist
Alexey Shestakov
Clinical psychologist, hypnotherapist

Entre as muitas drogas modernas, existem aquelas que coletivamente são chamadas de placebo, ou seja, chupeta.

O que é placebo?

A história deste termo remonta aos tempos bíblicos. Significava estranhos que iam a vigílias, cantavam salmos fúnebres e comiam sobre isso. Isso continuou até o final do século XVIII.

Não foi até 1785 que a palavra placebo começou a ser usada no sentido médico. E desde 1811, passou a significar todos os remédios prescritos mais para acalmar o paciente do que para curá-lo. Isso se deve ao fato de que a farmacologia não foi desenvolvida o suficiente para ter todos os medicamentos necessários. Então os médicos prescreveram chupetas, que pelo menos não faziam mal às pessoas. No entanto, observando os pacientes, notaram que muitos deles começaram a se sentir melhor e até se recuperar.

Os cientistas do efeito placebo explicam pelo fato de que uma pessoa está pronta para a auto-hipnose e é capaz de iniciar processos de recuperação no corpo sem o uso de drogas reais pelo poder de sua mente.
O sistema imunológico é um mecanismo único que permite que uma pessoa sobreviva
O sistema imunológico é um mecanismo único que permite que uma pessoa sobreviva

Com a ajuda de um placebo, você pode aliviar várias dores, tirar o paciente da depressão, sentir melhora nas infecções virais respiratórias agudas, oncologia e distúrbios do trato gastrointestinal. Algumas mulheres até alegaram que a pílula milagrosa permitiu que elas se recuperassem da infertilidade.

Até meados do século XX, os placebos eram amplamente utilizados. Eles eram cerca de 40% de todos os medicamentos. Mas depois de receber antibióticos e medicamentos hormonais, a necessidade de placebos começou a diminuir e sua produção começou a diminuir. E o método placebo passou a ser considerado charlatanismo.

Descobertas científicas

No entanto, alguns pesquisadores continuaram a investigar seu efeito. Um deles foi o anestesiologista americano Henry Beecher, que em 1955 publicou um artigo no qual publicava os resultados de quinze experimentos.

Placebo effect
Foto: Microgen | Dreamstime

O cientista descobriu que cerca de um terço dos pacientes começou a se sentir melhor após o tratamento com drogas placebo. Os partidários de Beecher começaram a usar chupetas não apenas na forma de pós e comprimidos, mas também como injeções e agentes externos. Com a ajuda deles, eles até realizaram simulações de operações cirúrgicas.

A melatonina é um hormônio do sono que regula os ritmos circadianos
A melatonina é um hormônio do sono que regula os ritmos circadianos

Os pesquisadores concluíram que o efeito placebo tem base psicofisiológica e depende do grau de sugestionabilidade do paciente.

Curiosamente, o placebo tem a capacidade de substituir a droga real de tal forma que às vezes causa efeitos colaterais, incluindo alergias, náuseas, distúrbios digestivos, dores de cabeça e outros. Essas reações, observadas em 20% dos pacientes, são chamadas de efeito nocebo, que significa “dano” em latim.

Escopo

Drogas fictícias são produzidas por golpistas farmacológicos. Um dos primeiros foi em 1801 por um certo Dr. Perkins, que começou a vender agulhas de tricô de uma liga com propriedades magnéticas.
Endorfinas – hormônios da satisfação e bem-estar
Endorfinas – hormônios da satisfação e bem-estar

O médico inglês John Haygarth criou agulhas de tricô semelhantes de madeira e começou a realizar sessões de cura em massa para o público. Descobriu-se que, depois disso, quatro em cada cinco pacientes começaram a se sentir melhor.

Os profissionais médicos às vezes também recorrem ao método placebo. Isso pode acontecer quando o paciente é alérgico à anestesia. Nesse caso, a chupeta substitui esse medicamento. Assim, dez pacientes foram operados na cidade de Houston. Cinco dos pacientes tiveram seus joelhos substituídos e a outra metade teve apenas incisões na pele. Um exame foi realizado seis meses depois. Acontece que todos os operados melhoraram.

Placebo effect
Foto: Tero Vesalainen | Dreamstime

Os neurocientistas identificaram características de pessoas que são particularmente suscetíveis à exposição ao placebo. Essa categoria de pacientes apresenta ansiedade, emotividade e dependência aumentadas das opiniões de outras pessoas. Os cientistas calcularam que este grupo pode incluir até 35% da população total do nosso planeta.

Com o auxílio da tomografia cerebral, foi possível constatar que o placebo em pessoas sugestionáveis ​​potencializa a síntese de opioides, que são substâncias antidepressivas, antiinflamatórias e analgésicas.

Hemoglobina no corpo humano
Hemoglobina no corpo humano

O efeito placebo requer mais pesquisas sérias. Sem dúvida, os cientistas ainda têm muitas descobertas notáveis ​​a serem feitas.

Efeitos placebo e nocebo

Alexei Shestakov, psicólogo clínico, hipnoterapeuta, especialista no trabalho com trauma mental, especialista em psicologia de cultos destrutivos e psicologia da influência, explica:

Os efeitos placebo e nocebo são sugestões que afetam a saúde de uma pessoa. É importante ressaltar que o impacto pode ser na saúde mental e física. Somente se, no caso de um placebo, o efeito for bastante positivo.

Então, por exemplo, se alguém que você conhece está com dor de cabeça, você pode dar a ele água com limão, tendo dito anteriormente que é um remédio, e há uma grande probabilidade de ele realmente obter alívio. A verdade é que também existe o perigo do efeito placebo, que reside no fato de que uma pessoa que se sente melhor pode se recusar a ir ao médico (mesmo que fosse) e acabar perdendo o início de uma doença grave.

BCAA – aminoácidos de cadeia ramificada
BCAA – aminoácidos de cadeia ramificada

Quanto ao efeito nocebo, tudo é exatamente o contrário. Nocebo – uma sugestão (consciente ou inconsciente), levando a uma deterioração da saúde humana. Por exemplo, se você disser – todos os dias você se sentirá cada vez pior, ou mesmo simplesmente – você parece tão dolorido hoje, então pode ser danificado – se não físico, embora também existam casos em que, por exemplo, uma pessoa aprendendo que ele supostamente danificou – começou a desaparecer diante de nossos olhos – então a saúde mental de pessoas propensas à suscetibilidade excessiva.

Em outras palavras, sugerido. A última coisa a dizer sobre a diferença entre os efeitos placebo e nocebo é que o efeito placebo na prática geralmente é mediado por algo, como no exemplo acima com dor de cabeça e água com limão, embora, claro, também possa ser usado diretamente, então a sugestão pelo médico ao paciente de uma atitude positiva em relação ao tratamento é um caso especial do efeito placebo.

1
Contente Participação